Juiz proíbe livro que revela homossexualidade de Lampião 

O juiz da 7ª Vara Cível de Aracaju, em Sergipe, Aldo Albuquerque, manteve sua decisão de não permitir o lançamento do polêmico livro Lampião Mata Sete, que sustenta a informação de que o chamado rei do cangaço, Virgulino Ferreira da Silva, era gay. 

Em 25 de novembro do ano passado, o magistrado expediu liminar suspendendo o lançamento, que ocorreria em uma livraria de Aracaju, em virtude de uma ação movida pela filha do cangaceiro, Expedita Ferreira. A decisão final saiu na última terça-feira. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Juiz aposentado e autor do livro, Pedro de Morais afirmou que vai recorrer da decisão no Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ-SE) e tem 15 dias para isso. Caso o livro continue censurado pela Justiça depois de sua tentativa, Morais informou que vai jogar os mil exemplares que lhe restam no Rio Sergipe. 

O juiz responsável pela censura, que não leu o livro, disse que sua decisão foi baseada na Constituição Federal. Para ele, se o livro falasse apenas sobre os crimes cometidos por Lampião, seria um fato público. Mas, quando se trata da sexualidade do cangaceiro, o tema não tem o mesmo interesse.