Sob suspeita, PM-SP suspende compras de artigos tecnológicos 

Após a polêmica denúncia de que 11.750 tablets, comprados por R$ 25 milhões pela Polícia Militar de São Paulo, apresentam mau funcionamento, a entidade anunciou a suspensão das compras na área de Tecnologia de Informação feitas desde dezembro de 2011, de acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo desta quinta-feira. Os tablets mencionados não entram na ação, por terem sido comprados em 2010.

De acordo com o secretário da Segurança Pública de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, a decisão foi "uma medida preventiva" após "uma série de comentários". Segundo Ferreira Pinto, a decisão de suspender novas compras ocorreu entre "30 dias e 40 dias" atrás, mas vinha sendo mantida em sigilo pelo governador Geraldo Alckmin. 

Um relatório enviado pelo deputado Major Olímpio Gomes (PDT) diz haver direcionamento para compra das antenas e dos tablets. "Diante de informações tão complexas, determinei que não se gastasse mais nada em tecnologia de informação até a assunção do novo comando. Vamos ver caso a caso. Se tiver irregularidade, será apurada", disse Ferreira Pinto.