OAB-RJ apoia ação penal contra Curió e diz que crime não está prescrito 

O presidente  da OAB do Rio de Janeiro (OAB-RJ), Wadih Damous afirmou', nesta quarta-feira, que a decisão do Ministério Público Federal de apresentar denúncia penal contra o coronel do Exército Sebastião Curió Rodrigues de Moura "se respalda em corretíssima interpretação jurídica". Segundo Damous, o desaparecimento forçado é crime permanente e, portanto, não está prescrito. 

"É inaceitável que responsáveis por tortura, assassinatos e desaparecimentos que agiram em nome do Estado continuem por aí impunes e circulando livremente", disse.

Curió é acusado de sequestro de cinco militantes da guerrilha do Araguaia na década de 1970, durante a ditadura militar. 

"A atitude dos Procuradores da República, além de tecnicamente irrepreensível, é patriótica", destacou o presidente da OAB do Rio de Janeiro.