Albergues turísticos representam apenas 1,9% da rede de hospedagem

A rede de hospedagem das capitais totaliza 5.036 estabelecimentos e é constituída, predominantemente, por hotéis (inclusive hotéis históricos, resorts e hotéis-fazenda), que respondem por 52,1% do total (2.627 hotéis). 

O segundo tipo de estabelecimento mais comum são os motéis (1.184), com 23,5%, seguidos pelas pousadas (714), com 14,2%. Têm menor expressividade apart-hotéis/flats, com 4,2%, pensões de hospedagem (inclusive estabelecimentos do tipo cama e café ou pousadas domiciliares), com 3,1%, e albergues turísticos, com 1,9%. No grupo outros, campings, dormitórios e hospedarias totalizam, apenas, 1,0%.

 Estes são alguns dos resultados da Pesquisa de Serviços de Hospedagem (PSH 2011), realizada pelo IBGE em parceria com o Ministério do Turismo, com o objetivo de conhecer a infraestrutura de hospedagem no país. 

A pesquisa revelou que, entre as capitais, Brasília possui a maior proporção de hotéis (67,1%), seguida por Curitiba (62,4%), São Paulo (59,1%) e Rio de Janeiro (58,3%). A distribuição revela que a maior concentração de motéis encontra-se em Fortaleza (39,3%), seguido de Belo Horizonte (34,0%) e Porto Alegre (32,1%.) Já o maior percentual de pousadas, entre as capitais, encontra-se em Florianópolis (40,2%), e nas principais capitais da região Nordeste, com destaque para Natal (30,2%), Salvador (26,0%), e Fortaleza (21,4%).

Em números absolutos, São Paulo (574) e Rio de Janeiro (250) são as capitais onde há maior quantidade de hotéis. Boa Vista (16) e Rio Branco (20) registram o menor número desses estabelecimentos. Quanto a motéis, São Paulo (264) lidera o ranking, seguido por Fortaleza, onde há 110 motéis, e Belo Horizonte (99). A capital onde funciona o maior número de pousadas é Florianópolis, com 102 estabelecimentos desse tipo, seguida por Salvador (93 pousadas).