Advogada infiltrada no poder teria influenciado decisões do governo, diz revista

Se forem verdadeiras as denúncias contra representantes dos poderes Executivo e Judiciário, apresentadas neste sábado pela revista Veja, teme-se que a população não suporte o escândalo. A publicação faz "denúncias" de que uma advogada jovem e bonita, Christiane Araújo, teria se aproveitado de seus dotes para agir nos bastidores da corrupção no Distrito Federal e influenciar em decisões no âmbito do governo federal, chegando a se infiltrar entre ministros do alto escalão do Executivo e do Judiciário. 

A publicação exibe, inclusive, cópias de e-mails supostamente trocados entre a advogada e o então chefe de gabinete do governo Lula, Gilberto Carvalho. Com as denúncias feitas neste sábado, a repercussão, aparentemente, só poderá ser diluída com o suor do Carnaval.

Segundo a Veja, a advogada lobista já se afastou de Brasília há cerca de dois anos, após a axplosão dos escândalos no governo do Distrito Federal. Veja diz ainda que, enquanto esteve no DF, além de servir a Durval Barbosa - ex-secretário do governo distrital e responsável por gravações que derrubaram o então governador José Roberto Arruda - Christiane também trabalhou no governo de transição e na campanha de Dilma Rousseff à Presidência.

Veja pubica ainda que Christiane, em depoimento à Polícia Federal e ao Ministério Público, diz ter conquistado a confiança de Gilberto Carvalho, com o objetivo de influenciá-lo na nomeação do promotor Leonardo Bandarra ao cargo de chefe da promotoria de Brasília, como objetivo de salvar a pele de Durval Barbosa. E Carvalho, por outro lado, teria usado Christiane para conseguir as gravações que comprometeram Arruda e outros adversários do PT. No entanto, a própria Veja põe em dúvida a credibilidade de Christiane em seu depoimento. Carvalho e Toffoli negam que as denúncias tenham algum fundo de verdade.

A revista também admite a hipótese de que a advogada esteja mentindo a respeito de um suposto envolvimento seu com José Antonio Dias Tofoli, ex-advogado do PT que se tornou advogado-geral da União e depois ministro do STF.

Ao ser comprovada a hipótese de Veja, sobre a possibilidade de Christiane faltar com a verdade, Toffoli e Carvalho, ambos reconhecidos como homens públicos sérios e competentes, não terão dificuldades em colocar a advogada na cadeia, mantendo a tranqullidade no governo, e a consolidação da certeza de que a corrupção se mantém longe da alta cúpula do poder.