Imprensa internacional repercute greve nas polícias do Brasil

A proximidade do Carnaval e a ameaça de alastramento da greve das polícias para outros estados, fez com que a imprensa internacional voltasse suas atenções para o Brasíl. Nesta sexta-feira(10), jornais da Espanha, França e Estados Unidos, publicaram matéria sobre a onda de violência durante a greve em Salvador, e os transtornos que a ameaça de paralisação pode causar ao Carnaval mais famoso do mundo.

O The New York Times noticiou o aumento no número de assassinatos, que duplicou durante a greve na Bahia. A reportagem ressaltou também, que uma greve poderia ser muito problemática, para o Rio, durante o Carnaval, quando “crimes violentos são uma preocupação mesmo quando as forças policiais estão trabalhando normalmente”.

O jornal americano relata “a desordem e disparidade que caracteriza algumas das forças policiais brasileiras” e ressalta o fraco treinamento e o baixo salário que a policia militar recebe, além das diferenças entre os outros comandos, como a Policia Civil e Federal.           

A matéria também destaca a disparidade entre os salários de servidores públicos brasileiros, comentando os generosos aumentos e benefícios que os juízes continuam a defender para sí, e também mencionam a existência de ‘supersalários’ para os juízes, em torno de R$23 mil a R$87 mil no Rio de Janeiro.

Na Espanha, o El País enfatizou o grande crescimento econômico que o Brasil vem apresentando nos últimos anos, observando que essa evolução não é acompanhada por setores essenciais, como a segurança pública do país.

O jornal francês Le Monde também citou os eventos que acontecem no Rio, comentando a  aversão dos bombeiros à prisão do cabo Daciolo, um dos lideres do movimento grevista, e citam o clima de insegurança na cidade.

Expectativa para o Carnaval do Rio

A uma semana do carnaval, o início da greve das polícias no Rio de Janeiro, gera expectativa em relação a segurança da cidade para os próximos dias.  O turismo é a grande preocupação, uma vez que milhares de viajantes desembarcam na cidade para curtir o carnaval carioca. Apesar da paralisação, a expectativa é de que tudo ocorra dentro da normalidade.

A Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (DEAT) informou que vai operar de forma habitual, independente da paralisação se agravar.

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH-RJ), também se mostrou confiante, e  informou que a paralisação ainda não teve reflexo no turismo da cidade. O presidente, Alfredo Lopes,  disse estar confiante nas ações planejadas pela  Secretaria de Segurança do Estado e no apoio dado pelo Governo Federal, para garantir a ordem, tanto para os cidadãos, quanto para os que visitam o Rio neste verão.