Delegada: lesões de suspeito de matar procuradora indicam suicídio

A delegada da 4ª Delegacia de Nova Lima (MG), Renata Ribeiro Fagundes, que investiga o caso da morte da procuradora federal do INSS Analice Moreira de Mello, 35 anos, disse na manhã desta sexta-feira que todos os indícios apontam para o suicídio do suposto autor do assassinato, o empresário e ex-marido de Analice, Djalma Brugnara Veloso, 49 anos, que foi encontrado sem vida em um motel na noite de ontem. "As lesões são típicas de suicídio, de acordo com a necropsia e com o trabalho da perícia realizada no local", disse. O corpo de Djalma foi encontrado na cama de uma suíte com nove perfurações de faca: três nas pernas, uma em cada pulso, uma na palma da mão esquerda, duas no pescoço e uma no lado esquerdo do peito, próxima ao coração.

Renata disse que vai sugerir à Justiça que o inquérito seja arquivado. "É o que vamos propor, tendo em vista a morte do autor", disse. Na semana que vem, a delegada vai colher o depoimento de familiares do casal para concluir o relatório. A babá que estava na casa quando Djalma chegou e deu início a uma discussão com a procuradora também será ouvida. O objetivo da investigadora é confirmar no inquérito que será enviado ao Ministério Público a autoria e a motivação do crime pelo empresário.

Analice foi assassinada a facadas na madrugada desta quinta-feira em sua casa em um condomínio de luxo na cidade de Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte (MG). O ex-marido é o principal suspeito do homicídio. Segundo a Polícia Militar, ele chegou à casa da procuradora por volta de 4h30 e teria iniciado uma discussão por causa do fim do relacionamento.

Durante a briga, a babá dos filhos do casal se trancou com as crianças, de 3 e 6 anos, dentro de um dos cômodos da casa. Ao sair, ela encontrou o corpo de Analice esfaqueado e chamou a polícia. Veloso, que era empresário no ramo de aluguel de veículos, foi encontrado morto no fim da noite de ontem em um motel na margem da BR-356, no bairro Olhos d'Água, extremo sul de Belo Horizonte.