Delegacia de estelionato investiga denúncia de fraude em postos de gasolina

Apontado pela reportagem do Fantástico, da Rede Globo, no último domingo (8), como suspeito de comandar o esquema de fraudes nos postos de combustíveis em Curitiba, Cléber Salazar falou pela primeira vez nesta segunda-feira, à RPC TV. Salazar garante que não tem nada para esconder, pois sua "vida é um livro aberto".

"Tenho cadastro no Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e todo mês passo a relação de todos os postos que a gente faz a manutenção. Os técnicos estão preparados para trabalhar perante a lei", afirmou.

Durante a reportagem, sem saber que estava sendo gravado, ele explica como funciona o esquema de adulteração das bombas. Cléber faz ainda um orçamento de quanto custaria a instalação do equipamento.

Nesta segunda-feira, a polícia chegou a uma casa na periferia de Curitiba que seria a sede de sua empresa, onde encontrou papéis, equipamentos e placas de computador que podem ter sido usadas nas fraudes das bombas de combustíveis. O gerente de um dos postos da capital, onde, segundo a denúncia, os clientes pagavam por 20 litros de gasolina e recebiam pouco mais de 18, prestou depoimento na delegacia de estelionato nesta amanhã. Outros postos de Curitiba e Região Metropolitana também foram vistoriados. Frentistas de um posto em Pinhais afirmaram que Salazar prestava manutenção nas bombas.

Segundo informações do delegado Jairo Estorílio, o suspeito está cadastrado no Instituto de Pesos e Medidas (Ipem). Ele afirmou que pedirá o mandado de busca e apreensão e a prisão de Cléber Salazar.