Kassab visita prédio que será implodido na favela do Moinho

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), vistoriou neste sábado o prédio ao lado da favela do Moinho, na região central da cidade, onde houve um incêndio que matou duas pessoas. Segundo o prefeito, a estrutura será demolida com a utilização de explosivos a partir das 16h de domingo.

Durante a visita ao local, o prefeito conversou com moradores das proximidades e disse que a polícia vai acompanhar todo o processo e se alguém resistir em sair de uma área de até 500 m do local, será preso.

A operação da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) nos trechos entre Barra Funda e Luz, na Linha 7, e entre Barra Funda e Júlio Prestes, na Linha 8, está paralisada devido ao risco de desabamento do prédio. Os trens operam normalmente entre Barra Funda e Jundiaí e entre Barra Funda e Itapevi. A alternativa para quem precisa acessar a região é pelo Metrô nas integrações nas estações Barra Funda e Luz.

Na sexta-feira, o prefeito já havia informado que, com a implosão do prédio no domingo, a operação da CPTM no trecho será liberada para voltar a circular, no máximo, até terça-feira. "Vamos aguardar, ver o resultado da implosão. É possível dizer que na segunda já possa liberar. Mas, com certeza, na terça estará liberada", completou.

O prédio não pôde ser implodido antes porque o terreno onde está localizado pertence à União e a prefeitura teve que aguardar a autorização judicial para o trabalho.

Incêndio

O prédio abandonado e dezenas de barracos da favela foram atingidos por um incêndio de grandes proporções que deixou mais de 1,5 mil pessoas desabrigadas, segundo a Defesa Civil de São Paulo. O fogo começou por volta das 9h do dia 22 de dezembro, e foi controlado cerca de quatro horas depois.

Dois corpos foram encontrados no local e três moradores ficaram feridos durante o incêndio - dois tiveram sinais de intoxicação e outro fraturou o pulso e teve queimaduras. Além disso, um bombeiro que ajudava na remoção dos pertences de um morador foi atingido na cabeça por uma televisão e socorrido ao Hospital das Clínicas.