Aposentadoria mostra que Exército errou, afirma sargento gay

O reconhecimento da incapacidade para o serviço militar e a reforma do sargento Laci Araújo mostram que o Exército errou ao prendê-lo como desertor em 2008, afirmou ele e seu companheiro, o militar licenciado Fernando Alcântara, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. Considerado desertor pelo Exército, Araújo sempre alegou estar em casa respaldado por atestado médico. A Força, no entanto, entendia que ele estava apto para o serviço.

Após parecer de uma junta médica apontar "transtorno misto ansioso e depressivo", entre outros diagnósticos, o Exército decidiu dar andamento à aposentadoria do militar. O casal conta que a decisão foi uma "surpresa" por ter sido tomada após pedido para renovar a licença de saúde, e não após pedido de aposentadoria. O Exército confirmou o parecer e o início dos trâmites para a reforma, mas disse que não comentaria o caso por ser sigiloso.