PDT não tem nome para substituir Lupi, diz líder do partido

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, está cada vez mais enfraquecido aos olhos do Palácio do Planalto. Depois do site Grajaú de Fato, do Maranhão, ter publicado imagens que desmentem sua versão de que, em 2009, ele não teria usado um avião providenciado por Adair Meira, dono de ONGs com convênios na pasta, para cumprir agenda, sua situação piorou. 

Integrantes da alta cúpula do PDT, partido de Lupi, começaram a contestar a versão do ministro e o governo de Dilma Rousseff já cogita substituir Lupi antes mesmo da reforma ministerial, prevista para o início de 2012.

Na linha de frente, porém, o líder do PDT na Câmara dos Deputados, Giovanni Queiroz (PA), desmente qualquer crise dentro de seu partido e afirma que ainda não houve nenhuma discussão sobre a substituição do ministro. "Não estamos discutindo nada. O PDT não tem um nome para substituir Carlos Lupi", disse em conversa com Terra Magazine nesta quarta-feira (16).

Dilma Rousseff pensa diferente. A presidente já conversou com diversos ministros sobre a situação no Ministério do Trabalho e pediu explicações para Carlos Lupi a respeito das imagens que o mostram descendo de um avião de prefixo PT-ONJ, o mesmo relatado pela reportagem da revista Veja desta semana sobre o avião alugado por uma ONG para o ministro.

A previsão é a de que Lupi encontre com Dilma até o fim desta semana e seu futuro, como nos outros seis casos de demissão ministerial, deverá ser decidido após a conversa a portas fechadas.

O líder do PDT disse estar em viagem no Pará participando da campanha para o plebiscito pela divisão do Estado. "Não tenho lido jornal e nem visto televisão, não vi essas imagens que dizem que desmente Lupi. Mas o que posso te dizer é que há pessoas muito criativas, porque o PDT não está discutindo nada", explicou Queiroz.