Testemunha revela que militares retiraram corpos no Araguaia

Portal Terra

SÃO PAULO - Uma testemunha relatou ao grupo do governo que busca restos mortais de guerrilheiros no Araguaia que corpos foram desenterrados em uma área próxima a um antigo posto militar, possivelmente em 1996, em São Geraldo do Araguaia (PA). A informação, repassada pelo ex-guia Joaquim Cilora, 79 anos, é inédita. Até então se imaginava que, caso houvesse uma operação de limpeza dos cemitérios clandestinos da ditadura militar, ela não teria chegado ao município, onde são pouco conhecidas as versões sobre sepultamentos. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Cilora trabalhou para os militares na década de 70 e confirmou que militares disfarçados desenterraram ossadas na região na segunda metade dos anos 90. Os corpos estariam em sepulturas próximas ao posto que as Forças Armadas instalaram no município para combater os guerrilheiros. O rio Araguaia separa São Geraldo de Xambioá (TO), onde são conhecidos os relatos de que houve uma operação de limpeza. Um dos corpos removidos em Xambioá teria sido o de Osvaldo da Costa, o Osvaldão. Morto em 1974, seu corpo teria sido enterrado na base militar.