Filho de capitão da PM de Roraima levava droga para SP

Hermano Freitas, Portal Terra

SÃO PAULO - O suspeito preso no domingo pela Polícia Civil de São Paulo com a maior quantidade de cocaína apreendida pelo Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap) é morador de Roraima e filho de um capitão da Polícia Militar daquele Estado.

Segundo o delegado Eder Pereira e Silva, do 12º Distrito Policial de Pari, que realizou a prisão e a apreensão de 97,277 kg do entorpecente, o indiciado tinha contatos no Paraguai, através dos quais tinha acesso à cocaína. O delegado disse que conversou com o pai do suspeito, que teria afirmado que o rapaz tinha interesse em estudar para ser piloto de avião no país vizinho.

A droga foi encontrada em um fundo falso de uma caminhonete marca Dodge Ram, de cor azul, que fora soldada para dificultar a fiscalização no trajeto entre Maringá (PR) e a capital paulista. "Demoramos 3h para abrir a caminhonete e localizar a substância", disse o delegado.

Pelo transporte da droga, o suspeito receberia US$ 10 mil. Silva disse que não é possível avaliar o preço da cocaína, mas estima que a droga apreendida poderia ser comercializada por no mínimo R$ 100 mil.

O indiciado, 26 anos, se valeu do direito de permanecer calado e, de acordo com a família, ainda não foi constituído advogado de defesa. A Polícia afirma que chegou ao suspeito depois que uma denúncia anônima apontou que ele frequentava o Largo do Arouche e a Praça da República, na região central de São Paulo.

Fazendo-se passar por clientes, os investigadores combinaram a compra de uma carga de cocaína. A entrega foi combinada para o domingo, às 16h, no Largo do Arouche. Na data e horário marcados, os policiais encontraram o acusado. Porém, disseram que desejavam ir para um lugar mais seguro para conferir a droga e fazer o pagamento. Um dos agentes assumiu a direção da caminhonete, tendo como passageiro o suspeito. Um outro policial escoltou o veículo onde estava a droga.

O policial que dirigia a caminhonete foi direto para o 12º Distrito Policial (Pari), onde se identificou ao fornecedor da droga, que recebeu voz de prisão em flagrante. A caminhonete foi vistoriada e, sob o revestimento da carroceria, bem como no revestimento das portas, os policiais apreenderam os 100 tijolos de cocaína.