Alencar defende alternativa a intervenção no DF em evento

Luciana Cobucci, Portal Terra

BRASÍLIA - O vice-presidente da República, José Alencar, defendeu nesta quarta-feira uma alternativa ao pedido de intervenção federal no DF pedido pela Procuradoria-Geral da República. Alencar participou de solenidades pelo aniversário de 50 anos de Brasília, comemorados nesta quarta-feira, 21 de abril.

"Sempre que se puder evitar uma violação dos poderes é melhor. O ideal é normalizar a situação. Mas como as eleições estão próximas, acredito que a partir daí as coisas mudem", disse.

Alencar rejeitou a ideia de que Brasília seja a capital da corrupção. "Brasília, desde a sua construção, sempre foi a capital da esperança de um Brasil novo, absolutamente probo. Essas são coisas que acontecem que devem ser repudiadas. Deve haver punidade. Acredito no futuro dessa cidade e que os homens públicos vão corrigir eventuais problemas", afirmou.

Entenda o caso

O mensalão do DEM, cujos vídeos foram divulgados no final do ano passado, é resultado das investigações da operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. O esquema de desvio de recursos públicos envolvia empresas de tecnologia para o pagamento de propina a deputados da base aliada.

O governador José Roberto Arruda aparece em um dos vídeos recebendo maços de dinheiro. As imagens foram gravadas pelo ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, que, na condição de réu em 37 processos, denunciou o esquema por conta da delação premiada. Em pronunciamento oficial, Arruda afirmou que os recursos recebidos durante a campanha foram "regularmente registrados e contabilizados".

As investigações da Operação Caixa de Pandora apontam indícios de que Arruda, assessores, deputados e empresários podem ter cometido os crimes de formação de quadrilha, peculato, corrupção passiva e ativa, fraude em licitação, crime eleitoral e crime tributário.