Prefeitura de Atibaia responsabiliza Sabesp por enchentes na cidade

Agência Brasil

SÃO PAULO - A prefeitura do município de Atibaia (SP) responsabilizou a abertura das represas do sistema Cantareira, administradas pela Sabesp, pela enchente do Rio Atibaia que prejudicou mais de 300 famílias nos bairros Parque das Nações, Jardim Kanimar, Guaxinduva, Caetetuba, bairro da Ponte e Terceiro Centenário. O excesso de chuvas também foi apontado pela prefeitura como causa das inundações.

Por causa das chuvas que afetam a região desde novembro, a Sabesp vem abrindo as comportas das barragens de Nazaré Paulista e Piracaia para o escoamento do excesso de água, o que não acontecia há quase 30 anos. Com uma vazão quase 18 vezes acima do normal, o resultado foi o aumento do nível do Rio Atibaia e, consequentemente, os transtornos para a população , afirmou a prefeitura em nota.

A Sabesp afirmou que não colabora com a enchente mas, sim, com a contenção das águas. Segundo a empresa, as represas retêm parte da vazão do rio e libera a água aos poucos. Só para se ter uma ideia, enquanto o descarregamento [saída de água] hoje foi de 16 metros cúbicos por segundo, a represa recebia 35 metros cúbicos por segundo no período. Já no dia 2, a vazão do rio era de 70 mil litros por segundo e as represas estavam liberando apenas 14 mil litros por segundo , disse em nota.

De acordo com a Sabesp, os níveis de água das represas da região estão acima dos níveis de segurança, razão pela qual há a necessidade de se fazer descargas. As represas têm que ser abertas para manter a segurança e evitar um colapso.

O complexo de represas Atibainha, na região de Atibaia, tem nível de segurança de 786 metros. Hoje, estava em 786,6 metros.