Grampo mostra relação entre filho de Sarney e nomeação secreta

Portal Terra

BRASÍLIA - Conversas gravadas pela Polícia Federal (PF) durante a Operação Boi Barrica apontam telefonemas de Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), para o então diretor-geral do Senado, Agaciel Maia. Nas conversas, há referências a nomeações de parentes e agregados de Sarney por meio de atos secretos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fernando Sarney foi indiciado na quarta-feira, após prestar depoimento à PF na cidade de São Luís, capital do Maranhão. No âmbito da Operação Boi Barrica, Fernando Sarney é suspeito de chefiar um grupo acusado de usar de influência política para direcionar licitações e desviar dinheiro público. A PF e o Ministério Público Federal suspeitam de caixa dois nas eleições de 2006 e superfaturamento da ferrovia Norte-Sul.

Em uma das gravações, Maria Beatriz Brandão Cavalcanti Sarney, filha de Fernando Sarney, telefona para o pai e demonstra interesse em nomear para uma vaga no Senado um suposto namorado. Henrique Dias Bernardes entraria no lugar deixado por Bernardo Brandão Cavalcanti Gomes, irmão de Beatriz por parte de mãe, que estava na folha de pagamento do Senado desde 2003, mas tinha pedido demissão.

Conversas posteriores, que teriam como interlocutor o próprio Sarney, apontam que o presidente da Casa orientou a neta a enviar o currículo de Bernardes a Agaciel. O suposto namorado foi nomeado em 10 de abril, por meio de um ato secreto assinado por Agaciel, depois da exoneração do meio-irmão de Beatriz.

De acordo com o Estado, Bernardes admitiu que chegou ao Senado por meio de indicação, mas disse que nao daria detalhes. Ele negou ser namorado de Beatriz.