Líder da minoria ameaça obstrução contra ação da base em CPIs

Portal Terra

DA REDAÇÃO - O líder da minoria no Congresso, deputado Otavio Leite (PSDB-RJ) informou que pode haver obstrução na votação dos sete projetos de créditos especiais que estão na pauta do Senado e da Câmara desta terça-feira, em protesto à postura da base governista com relação às CPIs da Petrobras e das ONGs. A informação é da Agência Câmara.

Na investigação que apurava o repasse de dinheiro público para instituições suspeitas, Arruda era o relator, mas o político trocou o cargo de titular para integrar a CPI da petrolífera. Como um senador não pode participar de duas CPIs ao mesmo tempo, o presidente da comissão das ONGs, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), passou o cargo de relator para o oposicionista Arthur Virgílio (PSDB-AM), quando o acerto era manter a relatoria nas mãos de um governista.

Na quarta-feira, o senador abriu mão da titularidade na comissão que investigará a estatal para voltar a ser membro efetivo da CPI das ONGs. Em seu lugar assumirá o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ). Isso porque, na última terça, o líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP), disse que a CPI da Petrobras só seria instalada se a oposição devolvesse a relatoria da CPI das ONGs aos governistas.

Por uma interpelação do líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), a mesa diretora do Senado deu parecer de que cabe ao Plenário da CPI definir quem será o relator. Como os governistas têm maioria, esta recondução só deixa de ocorrer caso não haja reunião da comissão de inquérito que investiga irregularidades de repasses de recursos públicos a entidades filantrópicas.

"O que está havendo no Senado é algo absurdo: o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) foi indicado para ser relator da CPI das ONGs por meio de uma iniciativa regimental e legítima. Agora, a bancada do governo procura artifícios oblíquos para destituí-lo da relatoria, e não aceitamos isso", disse Leite. "E também queremos fazer valer o acordo para instalar a CPI da Petrobras na próxima quarta-feira."

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza (SP), afirmou que a oposição está "passando dos limites". "O Congresso vai discutir créditos para gerar empregos e distribuir renda. Numa crise imensa como esta, eles ficam inventando no Senado uma CPI para a Petrobras", disse. "Eu quero pedir que eles façam oposição, mas não tentem impedir o Brasil de se desenvolver."