TJ-MS quer júri popular para médica acusada de fazer abortos

JB Online

SÃO PAULO - O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) decidiu, por unanimidade, levar a júri popular a médica e proprietária de uma clínica de "planejamento familiar" que funcionava em Campo Grande, na capital do estado. Ela e mais outras cinco pessoas são acusadas de provocar aborto em milhares de gestantes.

Segundo uma reportagem exibida pelo Jornal da Globo, a médica atuava há mais de 20 anos. Desde que o Ministério Público Federal começou a apurar o caso, foram apreendidas dez mil fichas de clientes dela que teriam interrompido a gravidez. Mas, por falta de provas, mais de oito mil cadastros foram excluídos das investigações.