Anac investigará empresa de avião que caiu no AM

Portal Terra

MANAUS - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que abriu processo administrativo para investigar as "condições de segurança operacional da empresa Manaus Aerotáxi", responsável pela aeronave que caiu ontem no Amazonas e deixou 24 mortos no acidente.

- O prazo para terminar esse processo pode variar de um a seis meses, dependendo das dificuldades encontradas na averiguação - afirma a agência em nota.

- A Manaus Aerotáxi tem cadastrados na Anac seis aviões: dois modelos Turbo Commander, dois Bandeirante (além do acidentado em Manacupuru no último sábado) e um Xingu aguardando liberação do Certificado de Aeronavegabilidade.

A Anac informou ainda que a empresa opera desde 2003 e nunca havia sido registrado nenhum acidente aéreo. - A mais recente auditoria da ANAC na empresa ocorreu em novembro de 2008 e não foram constatadas irregularidades que comprometessem as operações - finaliza a nota.

A Força Aérea Brasileira (FAB) informou que vai utilizar informações sobre o peso dos passageiros que estavam na aeronave para saber se foi o excesso de peso que causou o acidente.

A aeronave, que havia partido do município de Coari, a 365 km de Manaus, caiu no rio Manacapuru cerca de 20 minutos antes de pousar na capital do Estado, matando 24 das 28 pessoas a bordo.