Ainda não há prazo para julgar recurso que pede liberdade a Chicaroni

Agência Brasil

SÃO PAULO - Não há prazo para o julgamento do pedido de habeas corpus apresentado pela defesa de Hugo Chicaroni, preso no último dia 13 pela Polícia Federal, durante a Operação Satiagraha. Nesta quarta-feira, o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (SP e MS) informou que o recurso será apreciado pela desembargadora federal Ramza Tartuce, a mesma que indeferiu solicitação semelhante em favor do réu Humberto Braz, no último dia 18.

A defesa de Hugo Chicaroni, apontado como braço direito do banqueiro Daniel Dantas, já havia pedido ao Supremo Tribunal Federal a extensão de habeas corpus concedido ao empresário pelo presidente da Corte, ministro Gilmar Mendes. No entanto, o pedido foi negado pelo ministro no último dia 15.

- A prisão preventiva decretada em desfavor dos atuais requerentes fundamenta-se em situação fática distinta daquela apreciada em favor do paciente [Daniel Dantas] - justificou o presidente do STF em sua decisão.

De acordo com informações do Ministério Público Federal, no último dia 8, dia em que a Operação Satiagraha foi deflagrada, os agentes federais apreenderam R$ 1,2 milhão na casa de Chicaroni. O dinheiro seria oferecido a um dos delegados federais como forma de comprar o silêncio das autoridades, a pedido de Dantas, dono do Banco Opportunity.

Apenas Hugo Chicaroni e Humberto Braz, ex-diretor da Brasil Telecom - ambos acusados de tentar subornar um delegado federal para retirar o nome de Dantas das investigações da Operação Satiagraha - continuam presos. Na última semana, o TRF da 3ª Região negou liminarmente o pedido de habeas corpus de Braz.