Apreendida no Amapá droga que causa sensação de quase morte

Portal Terra

SÃO PAULO - Policiais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes apreenderam 15 vidros lacrados contendo 10 ml de um poderoso analgésico de uso estritamente veterinário, além de R$ 2,1 mil em dinheiro, no Aeroporto Internacional de Macapá (AP) Segundo a Polícia Federal, a droga estava com um passageiro do vôo vindo de Belém (PA).

A droga é conhecida como "Special K" ou vitamina K e quando consumida, a mente do usuário não percebe mais a matéria física e começa a funcionar como se o corpo não existisse, dando uma sensação de quase morte.

A droga foi encaminhada ao Instituto Nacional de Criminalística em Brasília, onde passará por análises e perícias a fim de definir qual a substância e composição do líquido encontrado. O dinheiro também foi arrecado e ficará sob a custódia da PF até que o suspeito comprove a origem do mesmo.

Os policiais federais identificaram a loja de produtos veterinários onde o suspeito comprou o analgésico e repassaram o nome para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em Belém. O estabelecimento poderá responder por infrações administrativas e até ser fechada.

O suspeito poderá responder por contrabando, descaminho e, dependendo do laudo pericial, até por tráfico de drogas e associação.

Efeitos

De acordo com a PF, o consumidor experimenta uma sensação de "quase morte". A droga é obtida por meio de refino da substância cloridrato de ketamina, encontrada em alguns medicamentos anestésicos veterinários.

A PF informou que assim como o ecstasy e o ácido lisérgico (LSD), o ketamina migrou dos consultórios para o terreno ilícito das ruas e entrou em festas raves e casas noturnas das grandes cidades, como São Paulo e Brasília. O anestésico líquido passa por um processo de refino até se transformar no pó conhecido como "Special K".

A substância, aspirada, dissolvida em bebidas alcoólicas ou misturada a cigarros e à maconha, traz uma sensação de relaxamento. A ketamina é comercializada em forma de pó, líquido ou em drágeas e é usada em cirurgias de várias espécies animais, como cavalos, bois, cães e animais silvestres.

Segundo a PF, a substância causa dependência física e psicológica em pouco tempo, além de nervosismo, problemas respiratórios, ataque de pânico, depressão, convulsões, taquicardia e morte. Os efeitos começam a surgir dois minutos após o consumo, conforme informou a polícia.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais