Publicidade

Julgamento no STF sobre depoimento de Bolsonaro será em plenário virtual

Ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello (Foto: Antônio Cruz | Agência Brasil) O ministro do Supremo ...

Antônio Cruz | Agência Brasil
Credit...Antônio Cruz | Agência Brasil

Macaque in the trees
Ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello (Foto: Antônio Cruz | Agência Brasil)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello decidiu enviar ao plenário virtual, entre os dias 2 e 9 de outubro, a análise do pedido do presidente Jair Bolsonaro para prestar depoimento por escrito sobre a suposta interferência na Polícia Federal.

No plenário virtual, os ministros depositam os documentos no sistema do STF em vez de fazer o debate e as leituras dos votos.

A solicitação foi feita pela Advocacia-Geral da União (AGU), que argumenta que Bolsonaro teria o direito de determinar a data e o formato do próprio depoimento.

Marco Aurélio Mello justificou a decisão de pautar o recurso no plenário virtual porque a decisão é mais rápida.

"Por videoconferência não julgamos quase nada, continuamos na morosidade de sempre. Julgamos dois processos por sessão, se tanto. No virtual, cada ministro insere o voto, e você toca [o julgamento] mais rápido. No plenário, por videoconferência, continuamos na mesmice, não conciliando rapidez com conteúdo", declarou o ministro, citado pelo portal G1.
O relator original do pedido, ministro Celso de Mello, negou o pedido da AGU e autorizou a PF a marcar uma oitiva para ouvir o presidente.

No entanto, Marco Aurélio Mello assumiu a relatoria do caso após Celso de Mello ficar de licença médica.(com agência Reuters)