PF pede ao Supremo mais 30 dias para inquérito sobre acusação de Moro de interferência de Bolsonaro

A Polícia Federal pediu nesta quarta-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prorrogação, por mais de 30 dias, do prazo para a conclusão do inquérito que apura as acusações do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro sobre interferências políticas do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal.

A pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras, o inquérito foi aberto no final de abril pelo ministro Celso de Mello, relator do caso no Supremo.

Uma das diligências pendentes, que foi requerida pela Polícia Federal, é o depoimento de Bolsonaro no caso. A solicitação de oitiva será apreciada pelo decano após o procurador-geral da República ter se manifestado a favor do depoimento do presidente por escrito.

O inquérito sobre as acusações de Moro, ex-juiz da operação Lava Jato, já colheu uma série de depoimentos. Ao final das apurações, caberá ao procurador-geral decidir se vai denunciar Bolsonaro, arquivar as investigações ou pedir novas diligências.(Com agência Reuters)