Presidente do PDT diz que Bolsonaro é 'o Hitler tupiniquim'

Macaque in the trees
ditador Adolf Hitler (Foto: reprodução redes sociais)

Presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, divulgou nota de solidariedade aos jornalistas agredidos por manifestantes que pediram, domingo pela manhã, em Brasília, o fechamento do STF, entre outros atos de autoritarismo.

 

Foram agredidos na manifestação - que contou com a presença de Bolsonaro - os fotógrafos Dida Sampaio, de 'O Estado de S. Paulo', o motorista do jornal, Marcos Pereira, o repórter fotográfico Orlando Brito, quando foi tentar socorrer os colegas, o repórter Fábio Pupo, da 'Folha de S. Paulo', e Nivaldo Carboni, do 'Poder 360'.

 

O PDT, PSB, Rede e PV vão pedir ao presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, em reuniões de videoconferências, durante esta semana, que decida logo sobre os 30 pedidos de impeachment contra Bolsonaro, encaminhados ao Congresso Nacional desde o início da pandemia do Covid-19.

"Bolsonaro é o Hitler tupiniquim. Ele tem que sair. Rodrigo Maia não pode lavar as mãos, em um momento difícil como esse. Mas há uma alternativa, caso Rodrigo Maia lave as mãos. Pelas revelações de Sergio Moro, em seu depoimento sábado, na Polícia Federal, o STF poderá tomar providências antes", disse Lupi.