Bolsonaro sanciona 'emenda Freixo' e põe fogo na internet

REUTERS/Adriano Machado
Credit...REUTERS/Adriano Machado

Nem bem digerida a rabanada, e lá vem a torta de climão.

O presidente Bolsonaro sancionou ontem (24) o tão propagado e defendido "pacote anticrime" do ministro Sérgio Moro. No entanto, não foi bem da forma como gostariam o ex-juiz federal e tantos dos milhares do rebanho bolsonarista que milita nas redes sociais.

Isto porque no meio da sanção estava nada mais, nada menos que a emenda que trata do "juiz de garantias", o que contraria doutor Moro, o "Russo" para os íntimos da Lava Jato, e é de autoria de ninguém menos que o deputado Marcelo Freixo, do PSOL. Até as pedras do Arpoador sabem do "gabinete do ódio" que cada bolsonarista traz no peito contra o partido do Freixo. 

E o que é afinal o tal do "juiz de garantias"?

Trata-se da figura de um magistrado que vai instruir os processos, mas não julga-los - e quem acompanhou de perto a celeuma Telegram / The Intercept Brasil / Vaza Jato consegue compreender a insatisfação do Sergio Moro com essa nova personagem da Justiça proposta por Freixo, pois o Moro juiz não só instruía , como tomava partido (da acusação) e julgava com a faca entre os dentes - pelo menos o processo do Lula foi assim, o do triplex. Até testemunha de acusação ele e o Dallagnol tentaram fabricar, de acordo com as mensagens reveladas pelo Intercept.

Bolsonaro sancionou o pacote com 25 vetos. E a turma da camisa amarela da CBF estava crente que o presidente vetaria o juiz de garantias para agradar Sérgio Moro. Não foi o que aconteceu. "O juiz das garantias é responsável pelo controle da legalidade da investigação criminal e pela salvaguarda dos direitos individuais cuja franquia tenha sido reservada à autorização prévia do Poder Judiciário", diz o texto sancionado.

Resumo da ópera: Freixo ganhou os trending topics do Twitter, bem como a hashtag #BolsonaroTraidor, e os bolsonaristas, "esquerdopatas" e "coxinhas" andam protagonizando cenas "interessantes" na internet. Vejamos: