Pacheco e Carlos Viana são eleitos para o Senado em Minas Gerais

Favorita nas pesquisas, ex-presidente Dilma terminou em quarto, com 15,32%

Com 99% das urnas apuradas, os candidatos Rodrigo Pacheco (DEM) e Carlos Viana (PHS) estão tecnicamente eleitos para o Senado. Eles terão oito anos de mandato a partir do ano que vem.

Pacheco e Viana tiveram votação parecida, com 20,5% dos votos (3,6 milhões) para o candidato do DEM, e 20,23% (3,5 milhões) para o postulante do PHS.

Os dois eleitos deixaram para trás o candidato Dinis Pinheiro (Solidariedade), com 18,42% (3,2 milhões) e a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) com 15,32% (2,6 milhões). Nas pesquisas antes da eleição, Dilma sempre aparecia na liderança da disputa.

Macaque in the trees
Dilma Rousseff (Foto: Divulgação)

Rodrigo Pacheco é deputado federal e foi presidente da comissão de constituição e justiça da Câmara no período do impeachment de Dilma Rousseff, em 2015. O candidato fez parte da coligação de Antonio Anastasia e pretendia concorrer ao governo de Minas Gerais, mas no último dia para registro das candidaturas, ele foi anunciado como senador na chapa do PSDB.

Carlos Viana é jornalista e disputou as eleições pela primeira vez. Mesmo sem fazer parte da coligação do PSDB, o senador apoiou e foi apoiado por Antonio Anastasia, e participou de diversos eventos com o candidato ao governo mineiro. Mesmo com o apoio informal, o "novato" na política também recebeu apoio do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, do PHS. Viana também fez muitas críticas ao senador Aécio Neves, que disputou uma cadeira na Câmara dos Deputados.