Pantanal: nuvem de fumaça chega a São Paulo e chuva escura é registrada em Santa Catarina

Macaque in the trees
Foto aérea mostra incêndios que atingem o Pantanal (Foto: Reuters / Amanda Perobelli)
As consequências dos grandes incêndios que atingem o Pantanal durante o mês de setembro já começam a se espalhar pelo país e populações de outros estados já sentem os efeitos das queimadas.

A fumaça na região de Mato Grosso fez com que o avião no qual viajava o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tivesse que arremeter antes de pousar na cidade de Sinop, nesta sexta-feira (18).

Uma nuvem de fumaça provocada pelas queimadas no Pantanal avança sobre o estado de São Paulo, conforme publicou o portal G1. A nuvem que foi deslocada por ventos deixa o céu mais escuro, como se estivesse com o tempo nublado.

Macaque in the trees
Fumaça no final de tarde, nesta sexta-feira (18). A fumaça causada por incêndio no Pantanal chegou a São Paulo (Foto: Folhapress/ Eduardo Anizelli)

Quando o vento traz a fumaça das queimadas até uma área onde existem nuvens de chuva pode ocorrer o fenômeno chamado de "chuva escura".

Nessa sexta-feira (18), a Defesa Civil de Santa Catarina (DCSC) informou que na quinta-feira (17) moradores de municípios do Oeste, Meio Oeste e Planalto Norte de Santa Catarina registraram a água da chuva com coloração diferente.

"A água da chuva contaminada pode conter compostos tóxicos, portanto alguns cuidados devem ser tomados se for realizar a captação em cisternas para consumo humano ou animal", alertou o coordenador de monitoramento e alerta da DCSC, Frederico de Moraes Ruthorff.

De acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), setembro de 2020 bateu o recorde histórico de queimadas na região. O Pantanal já registrou ao menos 5.603 queimadas, número quase três vezes acima da média para o mês.(Com agência Sputnik Brasil)



Foto aérea mostra incêndios que atingem o Pantanal
Fumaça no final de tarde, nesta sexta-feira (18). A fumaça causada por incêndio no Pantanal chegou a São Paulo