Jornal do Brasil

País - Artigo

O perigo escondido no seu ar condicionado

Jornal do Brasil WILSON RONDÓ JUNIOR *, drrondo@drrondo.com

É só o clima começar a esquentar que os aparelhos de ar condicionado das casas são ligados. Mas é preciso estar atento! Nas últimas décadas, os surtos de contaminação por causa desses sistemas fizeram com que as autoridades exigissem limpezas obrigatórias.

Nos aparelhos de ar condicionado há torres de resfriamento que são basicamente grandes recicladores de água, que absorve muito bem o calor. Nesse processo, as torres captam o ar e usam água para reduzir o calor. A água agora aquecida evapora e é liberada da torre; o ar mais frio vai para dentro do prédio.

A grande preocupação é a bactéria Legionella, encontrada em fontes de água. É ela que está por trás da doença do Legionário, que normalmente causa pneumonia, vômitos, diarreia, dores musculares e confusão mental. Se as bactérias crescem na água das torres de resfriamento, também podem ser liberadas junto com a água que se evapora para dos ambientes.

Segundo estatística americana, cerca de 14.000 pessoas por ano acabam em hospitais por infecção causada pela Legionella presente em ar condicionados. Os primeiros sintomas parecem uma infecção respiratória típica e leve.

A primeira vez que essa doença aconteceu foi há cerca de 40 anos, quando 34 pessoas morreram de uma misteriosa doença respiratória. O mesmo ocorreu quando 12 pessoas em Anaheim, Califórnia, foram infectadas. Nestes casos as torres de resfriamento foram avaliadas e encontrados níveis elevados de bactérias Legionella.

Em maio de 2017, o “The Wall Street Journal” informou que os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC’s) descobriram que os “legionários” viviam em 84% das quase 200 torres de resfriamento testadas nos EUA.

As pessoas mais suscetíveis são aquelas com deficiências imunológicas, com câncer, diabetes, doença renal crônica, fumantes e ex-fumantes ou aquelas acima dos 50 anos.

Cuidado com os sistemas de ar condicionado

Certifique-se de verificar o seu aparelho em intervalos regulares. Cheque condensador e dutos de ar e troque os filtros periodicamente. O compressor pode estar do lado de fora, mas é por dentro, onde ocorre a condensação, que pode ser criado um ambiente extremamente amigável para o crescimento de bactérias.

No caso de ambientes de quarto de hotel ou outro espaço qualquer onde a qualidade do ar interno possa parecer um pouco desagradável e talvez até reminiscente de mofo ou bolor, considere a fonte de um problema em potencial.

Agregue um desumidificador no seu ambiente com ar condicionado, pois ambientes úmidos são o meio favorável para essas bactérias. Procure manter a umidade do ar abaixo de 50%. Lembre-se, a poluição e contaminantes no ar interno são cerca de 100 vezes mais importantes que do ar externo.

Quando você volta de viagem com um resfriado ou problemas respiratórios, fadiga, tontura, garganta arranhada e dores de cabeça, são sinais de que o ar interior ou a qualidade da água podem não terem sido os melhores.

Lembre-se também de sempre fornecer água filtrada à sua família e converse com seus filhos sobre a importância do que bebem ou comem, o que também pode ser fonte de bactérias nocivas. Tenha atenção, tanto em casa quanto fora!

*Médico (0110159-5) e nutrólogo (31370)