Eduardo Paes anuncia acordo com SP para levar CoronaVac ao Rio de Janeiro

Apesar do anúncio, não foram reveladas informações sobre a quantidade de doses a serem compradas pelo Rio de Janeiro

Foto: reprodução/Twitter
Credit...Foto: reprodução/Twitter

O prefeito eleito fez o anúncio durante a madrugada de domingo em suas redes sociais, apontando que fechou acordo de cooperação com o Butantan para a aquisição da vacina.

Paes se reuniu com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), na noite do sábado (19) para fechar o acordo. O prefeito eleito disse que apresentará um plano de enfrentamento à pandemia na cidade ainda no dia 28 de dezembro. Paes também afirmou que está em contato com diversos laboratórios para comprar lotes da vacina.

Na sexta-feira (18), Paes comentou sobre o encontro agendado com Doria, dizendo que a vacina não seria a pauta principal da reunião. Em declaração, o prefeito eleito do Rio de Janeiro afirmou que seguirá o plano de imunização apresentado pelo governo federal, que inclui a vacina.

Apesar do anúncio, não foram reveladas informações sobre a quantidade de doses a serem compradas pelo Rio de Janeiro. No dia 10 de dezembro, a Prefeitura de Niterói, cidade da zona metropolitana do Rio de Janeiro, anunciou acordo para a compra de 1,1 milhão de doses da mesma vacina.

A vacina CoronaVac está sendo desenvolvida em uma parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac. Na sexta-feira (18), São Paulo recebeu dois milhões de doses da vacina, ainda em fase de testes. Com isso, o Butantan já tem 3,12 milhões de doses da CoronaVac e segue produzindo mais unidades do imunizante. Apesar de o governo paulista ter anunciado o início da vacinação para o dia 25 de janeiro de 2021, o fármaco ainda não recebeu autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Conforme os dados do monitor do jornal Folha de São Paulo, a capital paulista registra 377.507 casos confirmados da covid-19 e 15.175 mortes causadas pela doença. Já o Rio de Janeiro tem 155.434 casos e 14.237 óbitos. A duas cidades são as capitais brasileiras mais impactadas pela pandemia em números absolutos de casos e mortes. (com agência Sputnik Brasil)