Inquérito policial militar vai apurar se houve falhas de segurança, diz porta-voz

Sargento da Aeronáutica foi detido na Espanha, ao chegar ao país com 39 quilos de cocaína em sua bagagem pessoal, em avião da FAB

O porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, afirmou que um inquérito policial militar vai verificar se houve falha nos procedimentos de segurança.

Na última terça-feira (25), o segundo-sargento da Aeronáutica, Manoel Silva Rodrigues foi detido em Sevilha, na Espanha, ao chegar ao país com 39 quilos de cocaína em sua bagagem pessoal, em um avião da FAB. "O presidente, o Ministério da Defesa, o comando da Força Aérea não admitem em hipótese nenhuma procedimentos desse tipo com relação a seus recursos humanos e desejam que o mais rápido possível isso seja aclarado e a pessoa seja punida devidamente dentro dos trâmites legais", disse o porta-voz.

 

Ele também negou que a prisão seja a razão para a mudança na escala do voo ao Japão, inicialmente previsto para parar em Sevilha. "Não. Foi uma questão técnica, avaliada pelo comando da força aérea junto com o gabinete de segurança institucional, a mudança de Sevilha para Lisboa". Nesta quinta-feira (27), o único compromisso de Bolsonaro em Osaka é um jantar privado.

 

Comportamento de Bolsonaro com jornalistas

Após a rápida entrevista, o porta-voz da Presidência justificou o comportamento ríspido de Bolsonaro com os jornalistas. "Irritação é porque ele acabou de chegar aqui e tem que descansar para amanhã já estar disposto para cooperar no G-20 e no Brics, para que todos os países que aqui estejam tenham oportunidade de sair daqui com coisas que realmente sejam palpáveis", explicou ele.