Bolsonaro compara Previdência a batalha da Guerra do Paraguai e exalta "almirante" Guedes

O presidente Jair Bolsonaro comparou nesta terça-feira a reforma da Previdência com a batalha naval de Riachuelo, decisiva na Guerra do Paraguai, travada no Século 19, e disse estar confiante que sairá vitorioso graças ao ministro da Economia, Paulo Guedes, a quem chamou de "almirante".

Em discurso para empresários na Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Bolsonaro fez uma defesa enfática da necessidade da reforma da Previdência e, ao reiterar o anúncio feito mais cedo de que a Petrobras reduzirá o preço da gasolina, voltou a dizer que não interfere na política de preços da estatal.

Macaque in the trees
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

"E hoje de manhã, Paulo Guedes, estivemos juntos na Marinha do Brasil, lá em Brasília, batalha naval de Riachuelo... que definiu a Guerra da Tríplice Aliança. E hoje, Paulo Guedes, lá (na batalha de Riachuelo) o almirante Barroso, e hoje temos uma batalha que está para acontecer, a batalha da Nova Previdência. E eu tenho certeza da vitória porque tenho ao meu lado, não o economista, mas o almirante Paulo Guedes", discursou o presidente.

"Inclusive hoje o presidente da Petrobras anuncia logo mais uma redução de 3% no preço da gasolina", acrescentou, repetindo o anúncio que fez mais cedo pelo Twitter.

"Nunca teve e nunca terá qualquer influência do Executivo na política de preços da Petrobras", assegurou.