Marinha faz perícia no barco em que viajava Caroline Bittencourt

O barco em que viajavam a modelo Caroline Bittencourt, 37, e seu marido, o empresário Jorge Sestini, passou por perícia na manhã desta terça-feira (30), informou a Delegacia da Capitania dos Portos de São Sebastião.

Caroline e Sestini passeavam de barco na tarde do último domingo (29) quando foram surpreendidos por um vendaval durante um temporal que atingiu a região. A hipótese central da Marinha é de que Caroline caiu da embarcação por conta dos fortes ventos, e Sestini saltou na água em seguida para tentar resgatá-la.

Sestini foi encontrado vivo em alto-mar cerca de duas horas após pular na água. O corpo de Caroline foi encontrado na tarde desta segunda-feira (29), a cerca de 4 km do local do acidente, nas proximidades da Praia de Cigarras.

A embarcação, um catamarã, ficou à deriva após o vendaval e foi encontrada nesta segunda-feira na Praia do Massaguaçu, em Caraguatatuba. Após a perícia, ela foi levada à marina Le Mar, no Pontal da Cruz, onde ficará à disposição dos investigadores.

A Marinha não divulgou as informações obtidas pela perícia, como, por exemplo, se o barco tinha os equipamentos de segurança obrigatórios, e disse que elas farão parte do inquérito instaurado para apurar as causas do acidente. Não há prazo para conclusão da investigação, mas o comandante Souza diz que a equipe tenta encerrar o processo o quanto antes.

O comandante Souza confirmou, contudo, que o barco tinha toda documentação em dia e Sestini estava devidamente habilitado para conduzi-lo.

A agente da modelo, Andréia Boneti, informou nesta segunda à reportagem que Caroline pulou no mar para resgatar sua cadela spitz, Canjica. Em seguida, Sestini pulou para resgatar a mulher.

O delegado da Capitania dos Portos de São Sebastião, Wagner Goulart de Souza, afirmou a reportagem que não há nenhum indício que comprove que a cadela estava na embarcação.

Sestini deve prestar depoimento à Marinha em breve. "Estamos respeitando seu momento de luto", disse o comandante.

Caroline e Sestini faziam frequentemente passeios de barco por Ilhabela, onde o empresário possui uma casa. Segundo Boneti, ela adorava a cidade e sempre aproveitava os fins de semana de folga para viajar para lá.

O comandante Souza disse que a Marinha costuma avisar aos navegantes sobre condições meteorológicas de risco para viagens no mar. Um boletim sobre a previsão de temporal e ventos fortes foi postado no site da Marinha e no aplicativo, Boletim do Mar, na tarde de sábado. Não se sabe se Sestini chegou a ver o boletim antes de embarcar.

Um inquérito também foi instaurado pela Polícia Civil para apurar a morte da modelo. Procurado pela reportagem, o 1º DP de São Sebastião, responsável pelo caso, não atendeu as ligações.

Corpo de Caroline foi cremado em cerimônia reservada à família O corpo de Caroline foi cremado na manhã desta terça-feira no Cemitério Memorial Parque Paulista, em Embu das Artes, na Grande São Paulo.

Isabelle, filha da modelo, chegou acompanhada com o pai, Giba Ruiz Vieira, por volta das 8h15. Já o marido da apresentadora chegou ao cemitério por volta das 9h30 sozinho. O velório foi restrito para família, parentes e amigos mais próximos. A cremação aconteceu por volta das 10h.

Na noite desta segunda, o corpo de Caroline deixou o IML (Instituto Médico Legal) de Caraguatatuba, litoral norte, e foi levado para uma funerária em Osasco, na Grande São Paulo. Ainda pela manhã, ele foi levado para o Cemitério Memorial Parque Paulista.

O cemitério informou que a cerimônia seria fechada a pedido a família, pois "eles estão muito abalados". O velório começou por volta das 8h, e a cerimônia de despedida ocorreu em uma sala fechada para poucas pessoas. A todo o momento, entravam carros de familiares e amigos com os vidros fechados, sem se pronunciar.