Bônus será pago nesta terça a 187,6 mil professores e servidores de SP

Professores e servidores da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo recebem nesta terça-feira (23) o bônus por merecimento. O pagamento, anunciado na quinta-feira (18) pelo governador João Doria (PSDB), foi confirmado nesta segunda (22) em nota da Educação.


Os depósitos são destinados a 187,6 mil profissionais. O valor total é de R$ 425,4 milhões, cerca de 35% superior aos R$ 315,3 milhões de 2018. A maioria dos beneficiários (152,2 mil) é do magistério, cuja fatia do total do bônus é de R$ 375,5 milhões.


O benefício é calculado a partir das notas do Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação de São Paulo).
Além de professores do Ensino Fundamental e Médio, diretores, agentes de organização e equipes técnicas das escolas e órgãos centrais também têm direito ao bônus.
Para chegar ao valor individual, a Secretaria considera se a unidade avançou, atingiu ou superou a meta estipulada para o período. Os servidores precisam ainda ter trabalhado, no mínimo, em dois terços do ano letivo.


Para quem atingiu 120% da meta o valor pode chegar até aproximadamente 1,2 salários. Já quem atingiu 100% o valor pode ser até próximo de 1 salário.


Quando a meta não é atingida, é calculado o avanço da escola proporcional. Neste ano, o valor médio do bônus será de R$ 2.300. O maior pagamento é de R$ 21 mil.

Pagamento dos servidores


Professores e servidores do Centro Paula Souza vão receber, em média, R$ 4.705 de extra pelo Bônus por Resultados por avanço no Idesp (índice na educação).
O dinheiro estará na folha de pagamentos do mês de maio, que cairá na conta dos servidores em junho. Serão beneficiados 18 mil servidores, dos quais 13,3 mil professores. Ao todo, a secretaria de Educação vai desembolsar R$ 112 milhões.
Os valores médios do bônus são mais altos no Paula Souza porque inclui os docentes de 73 faculdades, cujos salários são maiores.