Eduardo Bolsonaro diz que país não abrigará criminoso como Battisti

Deputado Federal relembrou que Battisti "matou um policial, assassinou um pai na frente do filho, foi condenado na Itália por 4 homicídios qualificado, fugiu para o Brasil e Lula determinou que seguisse em liberdade e agora o STF decidiu extraditá-lo"

O filho do presidente eleito, Eduardo Bolsonaro, afirmou neste sábado (15) que o Brasil deixará de ser o paraíso dos criminosos estrangeiros, fazendo referência ao italiano Cesare Battisti, considerado por ele como "o caso mais famoso".


Em sua conta no Twitter, o deputado federal relembrou que Battisti "matou um policial, assassinou um pai na frente do filho, foi condenado na Itália por 4 homicídios qualificados (no Brasil é crime hediondo), fugiu para o Brasil, Lula determinou que seguisse em liberdade e agora o STF decidiu extraditá-lo".
A mensagem, que diz que Battisti está foragido, é acompanhada de uma foto em que o italiano aparece ao lado de representantes do Partido Trabalhista(PT), incluindo o ex-senador Eduardo Suplicy.


Em uma segunda publicação, Eduardo Bolsonaro ainda ressalta que no Brasil, além de Battisti, há ainda pelo menos dois sequestradores paraguaios e certamente outros bandidos condenados internacionalmente.