Jornal do Brasil

País

Slide de reunião secreta de óvnis na ONU foi brincadeira, diz Ernesto Araújo

Futuro ministro das Relações Exteriores encerrou palestra em 2015 com slide "Reunião secreta de óvnis na ONU?"

Jornal do Brasil

No dia 15 de maio de 2015, o embaixador Ernesto Araújo, futuro ministro das Relações Exteriores, encerrou a palestra "Ciência e Tecnologia - Experiências" em Washington, ministrada a alunos do Instituto Rio Branco, com um slide no qual apareciam dois discos voadores circundando o prédio da Organização das Nações Unidas (ONU) e a frase "Secret UFO meeting at the UN?" ("Reunião secreta de óvnis na ONU?").

A típica blague diplomática, uma brincadeira para descontrair a plateia segundo afirmou o futuro chanceler ao jornal O Estado de S. Paulo, passou a circular nas redes sociais desde que Araújo foi escolhido para o Itamaraty.

"Se um aluno do Rio Branco não é capaz de entender o senso de humor de uma brincadeira como essa, que fiz na ocasião para descontrair a plateia, fico ainda mais convencido da necessidade de mudanças na formação dos novos diplomatas", disse Araújo.

Nas mensagens enviadas desde quarta-feira, 14, a jornalistas, diplomatas e políticos, uma foto de Araújo durante a palestra com os óvnis ao fundo, é associada a teses polêmicas defendidas pelo diplomata durante a palestra como a hipótese do "design inteligente", considerada por diversas fontes como "pseudocientífica", segundo a qual certas características dos seres vivos são explicadas por uma "causa inteligente" e não pela evolução das espécies.

Em algumas mensagens, a brincadeira de Araújo é levada a sério e associada às declarações do presidente dos EUA, Donald Trump, que recentemente orientou o Departamento de Defesa e o Pentágono a estabelecer uma "força espacial como sexto ramo das forças armadas".

Em outras, os mensageiros dão corda para o senso de humor do futuro chanceler e lembram, em tom de deboche, que o astronauta Marcos Pontes, indicado para comandar o Ministério da Ciência, foi consultor do conselho editorial do Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores (CBPDV). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.