'La Gazzetta dello Sport': Vila Olímpica "é inabitável", dizem atletas da Itália e Austrália

Matéria conta que a comitiva da Itália foi obrigada a finalizar as obras por conta própria

Matéria publicada nesta segunda-feira (25) no jornal esportivo italiano La Gazzetta dello Sport conta que a comitiva da Itália decidiu terminar por conta própria o que não estava feito em seus apartamentos. Ao chegar na Vila Olímpica a reação foi a mesma da equipe australiana, que se recusou a ficar lá e foi para um hotel, denominando como "inabitável" o alojamento feito para os Jogos da Rio 2016.

A reportagem diz que a Vila Olímpica é um caos. Assim que chegaram os italianos informaram que era evidente que o local ainda não está pronto. 

> > Olimpiadi, apre il Villaggio, ma l'Italia completa i lavori in proprio

"Parte dos apartamentos não está pronta - admite a comissão organizadora -, os funcionários continuam trabalhando 24 horas por dia para resolver problemas e alguns atletas são colocados em quartos prontos embora não sejam os destinados para o seu país."

O periódico esportivo fala que a Itália foi obrigada a trabalhar por conta própria para completar a sua construção. Entre as áreas incompletas da Vila Olímpica no Rio existem também alguns apartamentos do edifício 20, destinado para a Itália, que precisará de equipes de trabalho de eletricista, pedreiros e encanadores por mais alguns dias. 

A La Gazzetta dello Sport destaca que além dos problemas que os atletas já esperavam, como o zika vírus, criminalidade e poluição das águas, outra questão que já se manifestou, e que no Brasil não é novidade, é a falta súbita eletricidade, que chamamos de "apagão". Não é por acaso que, no Parque Olímpico, foram colocados mega-geradores para o caso de emergências. Na vila este problema ainda não foi resolvido, mas já foi informado ao comitê organizador local. Enquanto isso, foram encomendados 1000 produtos de limpeza para resolver os problemas mais urgentes de saneamento e a segurança foi reforçada, após alguns escritórios da aldeia denunciarem furtos. Os organizadores até agora só admitiram o caso de " um laptop". 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais