MUNDO

Herdeiros planejam venda de patrimônio imobiliário de Berlusconi

A casa do 'Cavaliere' em Arcore, porém, ficará com a família

Por JB INTERNACIONAL
[email protected]

Publicado em 10/12/2023 às 12:36

Alterado em 10/12/2023 às 12:36

Villa San Martino, em Arcore Foto: TGCom24

Estão à venda as propriedades imobiliárias de Silvio Berlusconi, ou pelo menos parte delas.

No entanto, há uma condição: a villa San Martino em Arcore, a histórica residência em Brianza que Silvio Berlusconi escolheu como quartel-general de sua vida, não será tocada.

Vale destacar que nesta villa encontra-se a urna com suas cinzas.

A filha primogênita, Marina, presidente da Fininvest, explicou em uma entrevista publicada no livro de Bruno Vespa "Il rancore e la Speranza" que a villa San Martino deve permanecer "o ponto de encontro de nossa família".

"Nosso pai amava a vida, a luz, o movimento das pessoas. A villa San Martino deve permanecer assim, viva: queremos que continue sendo o local de reuniões de trabalho, além, é claro, de ser o ponto de encontro de nossa família. É isso que ele teria desejado", disse.

Mas além do afeto, agora é necessário organizar a herança como um todo, especialmente o vasto patrimônio imobiliário construído ao longo dos anos pelo ex-primeiro-ministro, que começou sua fortuna justamente no setor imobiliário.

Segundo o jornal Il Sole 24 Ore, que antecipou as notícias sobre a venda, a estimativa é de cerca de 700 ou 800 milhões de euros.

A hipótese levantada é a de que os imóveis sejam vendidos para depois dividir o valor entre os cinco filhos, com base na porcentagem da herança, em vez de dividir os prédios e terrenos primeiro.

Até o momento, segundo informações obtidas pela ANSA, já foi concedido o mandato de venda para vários ativos, como a villa Gernetto, uma grande vila neoclássica com parque perto de Lesmo, em Brianza, propriedade da Fininvest.

Fala-se da villa Certosa, retiro do "Cavaliere" na Costa Esmeralda, onde ele recebeu, entre outros, Tony Blair quando era primeiro-ministro britânico.

Uma propriedade vasta que teria uma avaliação entre 250 e 300 milhões de euros. Neste caso, a propriedade é da Idra (uma das imobiliárias associadas à holding Dolcedrago, que possui a maioria dos edifícios).

Também vinculadas à Idra estão Arcore e Villa Grande na Via Appia Antica, em Roma, e na Essebi Real Estate, a Villa La Lampara em Cannes.

Diretamente da Fininvest são a propriedade, além da Villa Gernetto, o prédio na Via Paleocapa, em Milão, onde fica a sede da empresa, e os terrenos de Costa Turchese, perto de Olbia.

Existem também propriedades que eram diretamente de Silvio Berlusconi, como a Villa Campari em Lesa, às margens do Lago Maggiore, as de Antígua, a Villa Due Palme em Lampedusa, e mais de cem apartamentos em Milão.

Mas também estariam à venda os dois principais iates de Silvio Berlusconi, Morning Glory e Sweet Dragon. (Ansa)

Tags: