Abertura de Mercado

Bolsas internacionais sem um viés único

As principais bolsas europeias sobem moderadamente nesta terça-feira, fortalecidas pela alta do sentimento do consumidor na Alemanha, que subiu para 107,7 em setembro, ante uma leitura revisada de 107,6 em agosto e registrando seu quinto mês consecutivo de alta.  No cenário doméstico, as declarações da presidente Dilma Rousseff e do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, concentram as atenções dos investidores. A presidente abre, na manhã desta terça-feira, a 68ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Em seguida será a vez do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

A agenda econômica americana começa às 10 horas, com a divulgação de índice de preços de moradias nos Estados Unidos em julho. Depois, às 11 horas, será a vez do índice de confiança do consumidor em setembro e também do índice regional de atividade de Richmond. Antes dos indicadores econômicos e do discurso do presidente, Barack Obama, os principais índices futuros de Nova York apontam para uma abertura estável. 

Na Europa, o principal partido de oposição da Alemanha, o Partido Social Democrata (SPD), determinou uma amenização das firmes políticas de austeridade da chanceler, Angela Merkel, na condução da crise do euro como condição para entrar em um governo de coalizão com o bloco conservador. Já na Espanha, o Tesouro vendeu 3,578 bilhões de euros em bônus de três e nove meses em leilão realizado hoje. O montante vendido ficou levemente acima do intervalo pretendido, de 2,5 bilhões de euros a 3,5 bilhões de euros. Os yields, por sua vez, se mostraram em direções divergentes. Por ora, as bolsas europeias exibem leve viés positivo. Às 8h50, a Bolsa de Londres subia 0,20%, Alemanha tinha alta de 0,24%, e Paris sustentava ganhos de 0,59%.

No Brasil, a FGV divulgou o índice de confiança do consumidor, que subiu 1,0% na passagem de agosto para setembro, registrando 114,2 pontos. Com a alta do período, o resultado atingiu o maior patamar desde fevereiro, mas ainda está abaixo da média histórica, de 114,9 pontos. Ainda hoje na agenda econômica doméstica serão conhecidos, às 14h30, os números do saldo em conta corrente e o total do IED (Investimentos Estrangeiros Diretos).

Na Ásia, na volta do fim de semana prolongado, a Bolsa de Tóquio fechou em ligeira baixa de 0,1% nesta terça feira, em meio à volatilidade do dólar ante o iene. Nos demais mercados asiáticos, o sinal negativo também prevaleceu. Na China, o índice Xangai Composto cedeu 0,6%. Já em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,8%.

Para esta terça feira, o Ibovespa tende a uma abertura com viés negativo, conforme apontava o Ibovespa futuro, que às 9h10, tinha queda de 0,5%. 

Desejamos Bom Dia a todos e Bons Negócios!