Sasaki faz história e termina em 10º no individual masculino de ginástica  

Depois de colocar o Brasil pela primeira vez na final individual geral masculina de ginástica artística, o brasileiro Sérgio Sasaki conquistou, nesta quarta-feira, mais um resultado expressivo para o País nos Jogos Olímpicos de Londres. Competindo na Greenwich Arena, o ginasta somou 88.965 pontos e terminou a competição na inédita 10ª colocação.

A medalha de ouro ficou com atual campeão mundial e vice-campeão olímpico, o japonês Kohei Uchimura, que, mesmo caindo na seu último aparelho, somou 92.690 pontos e deixou o alemão Nguyen em segundo, com 91.031, e o americano Danell Leyva, em terceiro, com 90.698.

Classificado em 11º para a disputa de medalhas, o brasileiro começou no cavalo com alças e atingiu 14.366 pontos. Na sequência, foi a vez de se apresentar nas argolas e receber 14.233 dos árbitros. Ao final da segunda rotação, Sasaki estava apenas na 21º colocação, mas com os 16.100 obtidos no salto, subiu para a 9º após a soma de três aparelhos.

Faltando mais três rotações, Sasaki iniciou a outra metade da competição nas barras paralela, aparelho em que realizou o movimento que leva o seu nome, e alcançou 15.200 pontos, permanecendo no top 10.

O próximo desafio do ginasta foi a barra fixa, onde somou 14.833 e se manteve na oitava posição. No último aparelho, o brasileiro realizou sua série de solo e fechou a participação nacional com a nota 14.233.

Essa foi a segunda vez na história que um ginasta brasileiro competiu nos seis aparelhos em uma edição dos Jogos Olímpicos. Oito anos atrás, em Atenas, Mosiah Rodrigues representou o Brasil, mas foi apenas o 33º colocado, terminando fora da final.

As competições de ginástica artística continuam na próxima quinta-feira, às 12h30 (de Brasilia), com a final individual geral feminina. Daniele Hypólito, que disputou medalhas nos Jogos de Sydney, em 2000, Atenas, em 2004 e Pequim, em 2008, teve uma queda no solo e não se classificou. Bruna Leal também disputou os quatro aparelho, mas um deslize nas barras paralelas comprometeram sua classificação. Outra brasileira que tentou final foi Ethiene Franco e, apesar de acertar as quatro provas, não teve uma soma suficiente para avançar à final.