Futebol feminino do Brasil abre Olimpíada de Londres 

A abertura da Olimpíada de Londres está marcada apenas para a próxima sexta-feira. Entretanto, antes de a pira olímpica ser acesa, a bola já rola nos gramados britânicos. Nesta quarta-feira, o futebol feminino dá o pontapé inicial para a competição. Logo no primeiro dia, Brasil, da cinco vezes melhor do mundo Marta, Japão, atual campeã mundial, e os Estados Unidos, líder no ranking da Fifa, estreiam no torneio, que, ao contrário do masculino, conta com atletas profissionais, sem limite de idade.

Medalhista de prata em Atenas (2004) e Pequim (2008), a Seleção Brasileira Feminina de Futebol brigará na Olimpíada de Londres para afastar a sina de acumular fracassos em decisões. Novamente comandado por Marta dentro de campo, o time nacional iniciará a disputa pelo ouro inédito nesta terça-feira, às 14h45 (de Brasília), contra a desconhecida equipe de Camarões, em partida que será realizada no Milennium Stadium, em Cardiff, e válida pelo Grupo E do torneio.

Em seu primeiro jogo em solo britânico, a equipe dirigida pelo técnico Jorge Barcellos encontrará uma equipe que ocupa a modesta 50ª posição no ranking da Fifa. Qualquer facilidade na estreia, entretanto, é negada pela comissão técnica. "Camarões é uma seleção muito forte fisicamente e tem boa movimentação quando tem a posse de bola. Será uma partida difícil, pois elas têm o mesmo jeito brasileiro de jogar", analisou o auxiliar técnico da Seleção, Vinicius Munhoz.

Ainda na lista dos favoritos ao título, o Brasil aposta em Marta para subir no lugar mais alto do pódio. Embora seja extremamente reconhecida pelo desempenho individual, a camisa 10 do País ainda não conseguiu triunfar em um grande torneio. Além das duas medalhas de prata, a jogadora também fracassou nas últimas Copas do Mundo - foi vice-campeã em 2007 e eliminada nas quartas de final em 2011.

Nas competições importantes, os Estados Unidos foram os principais algozes de Marta e companhia. Bicampeão olímpico, o time americano desembarca novamente como uma das grandes favoritos ao ouro. Vice-campeã mundial em 2010, a equipe da goleira musa Hope Solo entra em campo pela primeira vez nos Jogos a partir das 13h, em Glasgow, pelo Grupo G, contra a França, seleção ascendente que ocupa o sexto posto no ranking da Fifa e séria candidata a uma medalha.

A derrota para o Japão na decisão da Copa no ano passado ainda incomoda a seleção americana, que busca em Londres retornar ao topo do esporte. "Vencemos os dois últimos torneios olímpicos e sabemos que, no ano passado, as japonesas ganharam um título que nós queríamos ter conquistado. Por isso, faremos de tudo para ficar com o ouro", garantiu a centroavante Abby Wambach, uma das estrelas do time.

Principal alvo das americanas, o Japão estreia no mesmo horário. A equipe oriental, embalada pela conquista do Mundial no ano passado e o prêmio de melhor jogadora do mundo para Homare Sawa, terá pela frente no primeiro duelo olímpico o Canadá, da estrela Christine Sinclair. As duas equipes se encaram no Estádio Cidade de Coventry, em duelo válido pelo Grupo F.

Antes de as três favoritas entrarem em campo, a Grã-Bretanha fará a primeira exibição para o torcedor. A partir das 12h, a seleção, que tem como base a equipe inglesa (única a vencer o Japão no Mundial do ano passado), encara a Nova Zelândia. Os times responsáveis pela abertura olímpica são justamente os próximos rivais do Brasil pelo Grupo E.