Bernard diz que divulgação dos cortados é problema dos treinadores 

O chefe de missão do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Bernard Rajzman, disse neste sábado que cabe aos treinadores explicarem o vazamento da lista de atletas cortados das Seleções masculina e feminina de vôlei e da equipe feminina de ginástica artística. O dirigente está em Londres desde a última terça-feira e foi o responsável por inscrever toda a delegação brasileira que participará dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.

Nesta última sexta-feira, o Terra confirmou antecipadamente os nomes dos atletas cortados. A Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) pretendia divulgar apenas na semana que vem os nomes das duas atletas que completariam a equipe feminina. Já a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) pretendia esperar também a próxima semana para fazer seu próprio anúncio.

De acordo com Bernard, as confederações sabiam o dia que deveria ser entregue a lista definitiva de inscrição e que, a partir daquele momento, os dados poderiam se tornar públicos. "Isso não é problema nosso (da chefia de missão). Nós recebemos do departamento técnico de cada confederação as listagens que deveriam ser inscritas na inscrição definitiva. Assim o fizemos", disse Bernard.

"A divulgação de quem vai ou não é problema do treinador e das comissões técnicas. É um problema que de fato surgiu, vocês (reportagem do Terra) detectaram e acho que cabe a eles explicar o porquê. Recebemos todos atletas da mesma forma, com a mesma dedicação. Porque quando o atleta não reclama, o desempenho é melhor", completou o chefe de missão do COB.

Na matéria de sexta-feira, o Terra antecipou que Ethiene Franco e Harumi de Freitas foram cortadas da equipe feminina de ginástica. Uma delas deve recuperar vaga, graças à lesão de Laís Souza, informada neste sábado pelo superintendente executivo do COB, Marcus Vinicius Freire, ao desembarcar em Londres. No vôlei masculino, o oposto Theo, o líbero Mário Junior e o ponteiro Lucarelli ficaram de fora da lista oficial. Já no feminino, a líbero Camila Brait e a ponteira Sassá não foram inscritas.

Cabe lembrar que a lista de atletas já inscritos pode ser modificada até o congresso técnico de cada modalidade, mas apenas em caso de lesões. Seguindo a lógica, o técnico da Seleção feminina de vôlei, José Roberto Guimarães, ainda tem tempo para substituir Natália, caso a ponteira, que ainda é dúvida para os Jogos, não tenha condições médicas.