Dom Orani deixa mensagem de paz na Maré

Em 12 de outubro, Dia da Padroeira do Brasil, o Arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro, Dom Orani Cardeal João Tempesta, esteve em duas favelas do complexo da Maré enviando uma mensagem de paz e amor. As 10h, Dom Orani passou pela capela Nossa senhora Aparecida, próximo ao piscinão de Ramos, em Ramos. Já à noite foi visitar a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na favela Marcílio Dias.

Com o testemunho do pastor que cuida e acompanha suas comunidades, Dom Orani resgatou em suas homilias o papel de uma Igreja em saída, voltada para a missão em busca de possibilitar a inclusão daqueles e daquelas que historicamente são excluídos, os mais pobres.

Dom Orani ressaltou, que a exemplo de Maria, temos que servir sem esperar receber em troca. Ensinou também que temos que confiar no Senhor, mesmo sem saber o que estar por vir, lembrando os desafios do sim de Maria ao dar à luz o menino Deus sem ainda estar casada com São José.

Padre Lazaro, pároco da paróquia Nossa Senhora Aparecida, levou o Cardeal para abençoar a nova área da paróquia, um espaço onde será construída uma nova capela dedicada a obras missionárias. Ali, pretende dar lugar ao papel político e social que a Igreja Católica tem dentro da comunidade.

Dom Orani deu a bênção no local e abençoou também todas as comunidades do complexo da Maré. Em sua bênção, deixou à tona os conflitos territoriais que os moradores da Maré vivem, e fez um pedido de paz a Deus para os moradores.

Para dona Maria, membro  do Apostolado da oração, ter a presença do Cardeal na favela é sinal de esperança, tendo em vista que nenhuma outra autoridade vai até a favela pra saber da realidade do povo. Para ela “é muito importante ter o Dom Orani aqui, ele nos trata como filhos, e sempre busca nos ajudar”.

Dona Maria lembra que foi através da Igreja Católica, na década de 1980, que os moradores da Marcílio Dias tiveram direito a residir naquela localidade. Naquela época,  a favela era formada por palafitas e barracos sobre a baía de Guanabara e foi ameaçada de remoção pelo governo higienista dos militares.

Ao encerrar as celebrações do dia de Nossa Senhora Aparecida, as comunidades da Maré esperam que com a bênção do Cardeal, um período de paz possa de fato alcançar as 16 favelas do complexo.

 

* Walmyr Júnior é morador de Marcílio Dias, no conjunto de favelas da Maré, é professor e representante do Coletivo Enegrecer como Conselheiro Nacional de Juventude (Conjuve). Integra a Pastoral Universitária da PUC-Rio. Representou a sociedade civil no encontro com o Papa Francisco no Theatro Municipal, durante a JMJ.