Paes reconhece incompetência para organizar grandes eventos

"Nota está mais perto de zero", disse o prefeito sobre apoio logístico à JMJ

Em entrevista à rádio CBN, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, admitiu a sua incompetência para organizar grandes eventos, como a Jornada Mundial da Juventude (JMJ 2013). Ele reconheceu que houve falhas e disse que a nota da organização do evento "está mais perto de zero que de dez". 

Paes enfatizou que a obrigação da Prefeitura era fazer um trabalho perfeito, o que não ocorreu. "Mas não pretendo dividir a responsabilidade", acrescentou.

"Não estou dando nota zero, mas temos obrigação de ser perfeitos. Esse é meu papel, eu trabalho para a perfeição, e quando não acontece a perfeição, eu não fico culpando ninguém, nem querendo dividir a responsabilidade. A organização não está bem", reconheceu o prefeito.

Após a mudança de planos pelo alagamento do Campus Fidei, em Guaratiba, a prefeitura anunciou nesta sexta-feira a nova rota de peregrinação e vigília, realocados para a Praia de Copacabana. Os peregrinos partirão da Central do Brasil, no Centro do Rio, e rumarão por 9,5 km até Copacabana, onde passarão a noite na vigília até a missa do papa Francisco, no domingo.

A peregrinação terá início às 7h de sábado e os fiéis cadastrados na JMJ pegarão o kit peregrino da vigília durante a rota da caminhada, em frente ao Monumento dos Pracinhas. O trajeto completo é: Central do Brasil, passando pela Avenida Presidente Vargas, Avenida Rio Branco, Aterro do Flamengo, Enseada de Botafogo, Avenida Lauro Sodré e Avenida Atlântica.

A caminhada feita pelos jovens até a vigília é uma tradição das Jornadas, e a manutenção dela, fazendo com que os peregrinos andem um longo percurso, foi um pedido feito pela organização à Prefeitura do Rio, segundo Paes.

Apesar de o caminho para o Aeroporto Santos Dumont, que fica no Centro, não ser bloqueado, a prefeitura pede que quem precisar ir ao aeroporto antecipe seu trajeto para evitar atrasos, devido à grande quantidade de pessoas no local.

A partir das 21h do sábado, serão disponibilizados ônibus em Botafogo, que será o ponto de chegada da peregrinação, para aqueles que não queiram dormir em Copacabana possa voltar para seus alojamentos.

Os ônibus fretados que levariam peregrinos a Guaratiba serão desviados e seguirão para a Ilha do Fundão, onde haverá um ponto de estacionamento. De lá, ônibus urbanos levarão os peregrinos à Central do Brasil. Na volta, se for necessário, haverá ônibus da prefeitura.

No domingo, após a missa, haverá o caminho inverso – ônibus da Prefeitura sairão da Enseada de  Botafogo e levarão os peregrinos até a Ilha do Fundão para os fretados.

Acesso à Central do Brasil será feito por trem, metrô e ônibus. Quem sair da Zona Oeste deve usar preferencialmente o trem. O BRT Transoeste trabalhará em plena capacidade para ligar Santa Cruz ao Terminal Alvorada, na Barra, de onde sairão outros ônibus para a Central ou a Zona Sul. Os sistemas de ônibus, trem e metrô funcionarão 24 horas. 

Não haverá pré-venda de passagens para o metrô, e quatro estações estarão fechadas - Presidente Varga, Cinelândia, Catete e Cantagalo - para atender aumento do fluxo em direção a Copacabana.