Escoteiros de diversas partes do mundo participam da JMJ

Desde a preparação para a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, os Escoteiros do Brasil têm participado de maneira ativa no evento, organizando atividades religiosas e comunitárias. De 23 a 28 de julho, período em que ocorrerá o evento, 300 escoteiros de diversos países ficarão hospedados no acampamento internacional escoteiro para a JMJ. O espaço está localizado no Centro de Futebol Zico, no Recreio dos Bandeirantes. 

Além da hospedagem oficial, diversos escoteiros vieram com suas paróquias e foram acolhidos em diversos pontos da cidade.

Além de missas e atividades artísticas, o evento oferecerá para o público a possibilidade de fazer trilhas. Quem coordenará este trabalho serão os Escoteiros do Brasil, que guiarão os peregrinos no Rio de Janeiro, enquanto fazem reflexões a cerca dos santos e beatos padroeiros da Jornada. Duas dessas trilhas fogem um pouco dos tradicionais cartões-postais da cidade. Uma delas é a do Morro Azul, no Flamengo, onde escoteiros que são moradores da comunidade serão os guias, levando os visitantes a admirarem uma bela vista da Praia do Flamengo. A outra trilha fica na Ilha da Boa Viagem, em Niterói. Desde 1937, o local, que abriga a Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem construída no século XVII, é administrado por um Grupo Escoteiro.

Os Escoteiros também contam com participação especial na Feira Vocacional, na Quinta da Boa Vista. No espaço “Vocação 180º”, oferecem diversas atividades junto à Pastoral do Esporte do Rio de Janeiro, até sexta-feira (26), das 12h às 18h. No último dia de participação dos Escoteiros na Feira, 100 deles farão um corredor de entrada para recepcionar o Papa Francisco na Feira Vocacional.

Na sexta-feira (26), às 18h, 20 jovens escoteiros farão guarda de honra da Cruz da Via Sacra na praia de Copacabana. No encerramento da Jornada Mundial da Juventude, os Escoteiros participarão da cerimônia de encerramento junto ao Papa auxiliando nos cordões de isolamento junto aos demais voluntários.

De acordo com um dos coordenadores dos Escoteiros do Brasil na JMJ, André Torricelli, duas questões motivam os jovens do escotismo a colaborarem ativamente. “Prestar apoio comunitário para os visitantes é uma característica do Movimento Escoteiro, pois buscamos sempre ajudar o próximo. Aqueles que são católicos também poderão intensificar seu desenvolvimento religioso, parte importante do Método Escoteiro”, disse.