Jornal do Brasil

Papo de Ambiente - JBlog - Jornal do Brasil

Rio tem campanha de recolhimento gratuito do lixo eletr√īnico nesta quarta-feira, Dia Mundial do Meio Ambiente

Redação- com assessorias da ONU e TI Rio

Nesta quarta-feira, 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, o TI Rio (Sindicato das Empresas de Informática do Estado do Rio de Janeiro), lança uma campanha de recolhimento do Lixo Eletrônico em parceria com a Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro). Durante todo o mês pontos de coleta estarão distribuídos pela assembleia para receber computadores, impressoras, máquinas fotográficas, celulares e suas peças, em perfeito estado ou não. O material passará por uma triagem e será encaminhado para destinação correta e sustentável.

Macaque in the trees
Lixo eletrônico (Foto: Pixabay (CCO))

Segundo relatório da Plataforma para Aceleração da Economia Circular (PACE) e da Coalizão das Nações Unidas sobre Lixo Eletrônico divulgado no início do ano, mais de 44 milhões de toneladas de lixo eletrônico e elétrico foram produzidas no mundo em 2017 – equivalente a mais de seis quilos para cada habitante do planeta. Do total de lixo eletrônico menos de 20% são formalmente reciclados. Os 80% restantes vão para aterros ou são reciclados informalmente, de forma que expõem trabalhadores a substâncias cancerígenas como mercúrio, chumbo e cádmio. O lixo eletrônico em aterros contamina o solo, os lençóis freáticos e coloca em risco sistemas de fornecimento de alimentos e recursos hídricos.

A previsão do relatório da ONU é de que, mantido o atual nível de produção, em 2050 o lixo eletrônico alcance 120 milhões de toneladas/ano no mundo. O trabalho enfatiza a necessidade de adoção de uma economia circular na qual recursos não sejam extraídos, usados e descartados, mas avaliados e reutilizados de maneira que minimize impactos ambientais e crie empregos decentes e sustentáveis.

Além dos impactos ambientais, o relatório surpreende ao avaliar o valor do lixo eletrônico. Segundo revela, é superior a 62,5 bilhões de dólares, resultante de materiais como como ouro, platina, cobalto incluídos na produção dos produtos descartados. O documento diz que até sete por cento do ouro do mundo podem estar em lixo eletrônico, com cem vezes mais ouro em uma tonelada de lixo eletrônico do que em uma tonelada de minério de ouro.

Entre soluções apontadas pela ONU para combater o problema estão o design de produtos duráveis, sistemas de compra e retorno de eletrônicos usados, “mineração urbana” para extrair metais e minérios de lixo eletrônico e a “desmaterialização” de eletrônicos ao substituir propriedade direta de aparelhos por modelos de empréstimo e aluguel para maximizar reutilização de produtos e oportunidades de reciclagem.

O evento - A campanha será apresentada durante o seminário “Desafios e Aprendizados na Implementação do Plano de Logística Sustentável (PLS)”, que será realizado das 10 às 12 horas no auditório Senador Nélson Carneiro, na Alerj.

Desde 2012 o TI Rio já coletou e deu destino correto a cerca de 19 toneladas de lixo eletrônico. O desafio da entidade, de acordo com seu presidente, Benito Paret, é fazer com que esse número cresça: “Durante todo o ano realizamos esse serviço gratuitamente para as empresas filiadas ao sindicato. Nesse mês especial, quando se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, resolvemos expandir para toda população do estado, simbolizada pela sua casa legislativa.”

O trabalho atualmente é realizado em parceria com a empresa Futura Soluções Ambientais, que na triagem do material recolhido destina os sem funcionamento à desmontagem, para separação de suas peças. Já os que estão em funcionamento, seguem para comunidades, ONGs, creches, escolas ou para a venda, com o objetivo de arrecadar fundos para orfanatos.

Paret, entende que, além da redução de custos e consequente vantagem econômica, a sustentabilidade oferece vantagem competitiva, na medida em que demonstra a responsabilidade empresarial em aspectos sociais e ambientais, com reforço da imagem da organização. Por isso, as empresas participantes recebem o Certificado de Destinação, que comprova a atuação em prol do desenvolvimento ecológico e sustentável.

O evento na Alerj é aberto ao público e as inscrições podem ser feitas no endereço: https://bit.ly/AlerjSustentavel