Turquia contesta tarifas sobre aço e alumínio dos EUA na OMC

A Turquia entrou com uma queixa junto à Organização Mundial do Comércio (OMC) para contestar as tarifas dos Estados Unidos sobre o aço e o alumínio, documento distribuído segunda-feira aos membros da organização.

A Turquia solicitou formalmente a abertura de consultas com os Estados Unidos a respeito das tarifas de 25% sobre aço e 10% sobre alumínio, o primeiro passo na solução de divergências.

Ancara considera essas medidas "inconsistentes com várias disposições do Acordo da OMC sobre Salvaguardas e do Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio (GATT) de 1994", segundoo documento.

Muitos membros da OMC já recorreram a esta organização para contestar impostos americanos, incluindo a União Européia, China, Rússia, Suíça, México e Canadá.

Segundo as regras da OMC, caso 60 dias se passem sem consultas que levem a uma solução da disputa, a Turquia poderá solicitar à organização que estabeleça um procedimento de arbitragem, desencadeando um processo longo e oneroso que pode durar anos.

Na semana passada, o governo turco adotou medidas de retaliação contra os Estados Unidos para protestar contra o aumento das tarifas de aço e alumínio.

As relações entre Ancara e Washington estão em atrito, principalmente por causa da detenção na Turquia de um pastor americano, acusado de espionagem e colocado em prisão domiciliar.

A guerra comercial derrubou a moeda turca em relação ao dólar, e perdeu quase 40% de seu valor desde o início do ano.

gca/mr/cn