Número de vítimas da queda de ponte na Itália sobe para 42

O numero de mortos vítimas da queda da ponte em Gênova, na Itália, subiu para 42. Neste sábado, o presidente italiano, Sergio Mattarella, participou do funeral de algumas das vítimas.

O número não oficial de mortos subiu, depois que a equipe de resgate encontrou quatro corpos nos escombros da Ponte Morandi, que caiu na última terça-feira. Investigadores estão trabalhando para ver se houve falha de projeto ou manutenção inadequada.

Além do presidente, participaram também do funeral o primeiro-ministro, Giuseppe Conte, e vários membros de seu gabinete, incluindo o ministro de transporte e infraestrutura da Itália.

Outros funerais ocorreram na sexta-feira, em meio a protestos culpando as autoridades por não traçarem um plano de segurança da ponte. 

Itália oficializa retirada de concessão de empresa

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, comunicou nesta sexta-feira (17) a empresa Autostrade que iniciou oficialmente o procedimento para a retirada de concessão da gestão das estradas italianas e a acusou de ser responsável pela tragédia em Gênova.

Em comunicado, Conte afirmou que a companhia do grupo Atlantia, "que tinha a obrigação de ocupar-se da manutenção ordinária e extraordinária da autoestrada A10", é a responsável pela "tragédia da queda da ponte", que provocou a morte de dezenas de pessoas.

 "A empresa terá a possibilidade de comunicar as suas conclusões nos próximos 15 dias", acrescenta a nota do premier.

 A decisão acontece em meio as investigações para definir as causas do desabamento da Ponte Morandi. Com base em informações preliminares, as autoridades italianas suspeitam que o acidente ocorreu após a ruptura de um dos cabos de aço da ponte. 

Com informações de agências