Tribunal superior rejeita pedido para libertar pastor americano na Turquia

Um pedido de apelação feito pelo advogado do pastor americano Andrew Brunson foi rejeitado pela terceira vez nesta sexta-feira, de acordo com o jornal Haber Turk. Uma corte superiora, o Tribunal Penal, rechaçou que Brunson pudesse deixar a prisão domiciliar onde está atualmente, sob suspeita de envolvimento com terrorismo e espionagem.

Autoridades na Turquia acusam o pastor americano de envolvimento na tentativa de golpe de Estado de 2016 contra o presidente Recep Tayyip Erdogan. O governo dos Estados Unidos, porém, diz que a acusação não procede e cobra a libertação do religioso. O caso piorou a relação bilateral e o presidente americano, Donald Trump, anunciou tarifas contra o aço e o alumínio turco, o que levou a Turquia a retaliar contra produtos americanos. A tensão diplomática é um dos motivos para a piora no quadro econômico e financeiro turco, ao lado de problemas internos, como a alta inflação e dúvidas sobre a independência do banco central.

Caso condenado, Brunson pode pegar até 35 anos de prisão.