Assassinam um muçulmano no oeste da Índia por pastorar vacas

Um homem de confissão muçulmana morreu neste sábado (21) na província de Rajastão, no oeste da Índia, depois de ser linchado por pastorar vacas, um animal sagrado para os hinduístas, informou a polícia.

Extremistas hinduístas, também conhecidos como os "guardiões das vacas", participaram de agressões mortais contra muçulmanos e integrantes da casta inferior dos Dalits, acusados de comer esses animais sagrados.

Antes de ser assassinado, Akbar Khan, de 28 anos, estava pastorando com outra pessoa duas vacas no distrito de Alwar quando foi atacado por um grupo de aldeões.

As autoridades locais condenaram este "suposto linchamento de uma pessoa acusada de transportar vacas" e anunciaram que os dois suspeitos foram interrogados. As forças de segurança ainda estão procurando outras pessoas supostamente envolvidas no linchamento.

"As medidas mais rigorosas devem ser tomadas contra os responsáveis por este assassinato", assegurou o chefe do governo regional, Vasundhara Raje, no Twitter.

O inspetor-geral da polícia de Rajastão, Hemant Priyadarshi, explicou à AFP que "antes de morrer, a vítima nos disse que os agressores o acusavam de ser um traficante de gado". O sacrifício de vacas é proibido em vários estados da Índia, onde 80% da população é de confissão hindu.