Dissidentes das Farc queimam helicóptero na Colômbia

Supostos guerrilheiros dissidentes das Farc incineraram um helicóptero em terra que dava apoio aos trabalhos em Hidroituango, a maior represa em construção na Colômbia, informou o exército neste sábado.

O MI-17 estaba a serviço de uma empresa privada e foi queimado na noite de sexta em uma zona do município de Toledo (noroeste).

O aparelho estava sendo utilizado nas tarefas de construção das torres de energia do projeto Hidroituango e também dava apoio a ajuda humanitária de emergência, segundo o general Juan Carlos Ramírez, chefe militar da Quarta Brigada.

O ataque foi atribuído aos rebeldes da Frente 36 das FARC, que renegam o processo de paz.

Há mais de um mês as autoridades estão trabalhando com os problemas da represa, que enfrenta risco de colapso por uma série de falhas geológica e de engenharia.

A situação representa uma ameaça para 130.00 habitantes.

As obras da Hidroituango, que deveria suprir um quinto da demanda energética do país, estão a cargo do consórcio CCC Ituango, integrado pela brasileira Camargo Correa (55%) e as colombianas Conconcreto (35%) e Coninsa-Ramón H (10%).

Camargo Correa está sendo investigada dentro da operação Lava Jato e a Procuradoria colombiana investiga a contratação das obras e possíveis danos ambientais.

mro/vel/dg